segunda-feira, janeiro 22, 2018

«A EMISSORA NACIONAL E AS MUDANÇAS POLÍTICAS [1968-1975)» DE ROGÉRIO SANTOS [1 DE FEVEREIRO, 18H30. FNAC CHIADO]
















Convite

As Edições MinervaCoimbra, a Diretora da Coleção História e Memória,

Prof.ª Doutora Isabel Nobre Vargues, o Autor e a FNAC Chiado
têm o prazer de convidar V. Exa para a apresentação do livro

 "A EMISSORA NACIONAL E AS MUDANÇAS POLÍTICAS (1968-1975)"
de autoria de Rogério Santos.

A apresentação será feita pelo Doutor Adelino Gomes (jornalista)
e a sessão realiza-se no próximo dia 1 de Fevereiro de 2018, pelas 18h30, 
na Fnac do Chiado, em Lisboa.

O livro
analisa a história da Emissora Nacional durante o período de 1968 a 1975, compreendendo os tempos do governo de Marcelo Caetano e os dezoito meses de revolução política (abril de 1974 a novembro de 1975). 
O estudo incide sobre a programação, os objetivos ideológicos, estéticos e culturais da rádio pública e a mudança de geração de dirigentes, profissionais e orientações radiofónicas.
[nº 5 da Colecção Comunicação História e Memórias]

                                                           


ROGÉRIO SANTOS é docente (Universidade Católica Portuguesa) e investigador em ciências sociais e humanas  (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura). Publicou diversos livros sobre história da rádio e das telecomunicações, 

terça-feira, janeiro 09, 2018

«NOTA SOBRE A SUPRESSÃO GERAL DOS PARTIDOS POLÍTICOS» DE SIMONE WEIL [BREVEMENTE] TRADUÇÃO E PREFÁCIO DE CRISTINA ROBALO CORDEIRO




Brevemente

"Nota sobre a supressão geral dos partidos políticos" de Simone Weil

Tradução e prefácio de Cristina Robalo Cordeiro.

“Para apreciar os partidos políticos segundo o critério da verdade, da justiça e do bem público, convém que comecemos por discernir três aspectos essenciais: 1/ Um partido político é uma máquina de fabricar a paixão colectiva; 2/ Um partido político é uma organização construída de maneira a exercer uma pressão colectiva sobre a forma de pensar de cada um dos seres humanos que dele são membros; 3/ A primeira finalidade e, em última análise, o único fim de qualquer partido político é o seu próprio crescimento, e isto sem qualquer limite.”Simone Weil.

domingo, dezembro 03, 2017

BOAS FESTAS E FELIZ ANO DE 2018



        serigrafia de Miguel Barbosa

quinta-feira, novembro 23, 2017

MARIA HELENA TEIXEIRA E CARLA FURTADO RIBEIRO NO CICLO "COIMBRA TEM POESIA" [CASA DA ESCRITA, 29 NOVEMBRO, 2017, 18H15]


As poetas Maria Helena Teixeira e Carla Furtado Ribeiro são as convidadas da próxima sessão do ciclo mensal “Coimbra (t)em Poesia”, organizado pela Câmara Municipal de Coimbra, que irá decorrer na Casa da Escrita (Rua Dr. João Jacintho, n.º 8). A iniciativa decorre na próxima quarta-feira, dia 29 de novembro, a partir das 18h15 e tem entrada livre.

 Maria 

As poetas Maria Helena Teixeira e Carla Furtado Ribeiro são as convidadas da próxima sessão do ciclo mensal “Coimbra (t)em Poesia”, organizado pela Câ...
CM-COIMBRA.PT

sábado, novembro 18, 2017

«A EMISSORA NACIONAL E AS MUDANÇAS POLÍTICAS (1968-1975)» DE ROGÉRIO SANTOS [APRESENTAÇÃO EM COIMBRA. SAPIENTIA BOUTIQUE HOTEL] 24 DE NOVEMBRO, 18H00.


Convite


Vai ser apresentado dia 24 de novembro, pelas 18h00, no Sapientia Boutique Hotel, em Coimbra, o livro  "A Emissora Nacional e as mudanças políticas (1968-1975)"
de autoria do docente universitário e investigador em ciências sociais e humanas Rogério Santos.
A apresentação será feita por Isabel Nobre Vargues, professora da FLUC e diretora da Coleção História e Memória - MinervaCoimbra.

O livro
analisa a história da Emissora Nacional durante o período de 1968 a 1975, compreendendo os tempos do governo de Marcelo Caetano e os dezoito meses de revolução política (abril de 1974 a novembro de 1975). 
O estudo incide sobre a programação, os objetivos ideológicos, estéticos e culturais da rádio pública e a mudança de geração de dirigentes, profissionais e orientações radiofónicas.
[nº 5 da Colecção Comunicação História e Memórias]

                                                           

ROGÉRIO SANTOS é docente (Universidade Católica Portuguesa) e investigador em ciências sociais e humanas  (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura). Publicou diversos livros sobre história da rádio e das telecomunicações, 

sexta-feira, novembro 03, 2017

«PENUMBRA» DE LAURA DA SILVA [APRESENTAÇÃO NA BIBLIOTECA MUNICIPAL MIGUEL TORGA EM MIRANDA DO CORVO] 18 DE NOVEMBRO, 16H00.






Convite 

O Presidente da Câmara Municipal de Miranda do Corvo, Miguel Baptista, 
as Edições MinervaCoimbra e a Autora, têm a honra de convidar V. Exª 
para a apresentação do livro PENUMBRA de Laura DaSilva.
A apresentação será feita por Júlia Correia (professora de ensino secundário).
A sessão realiza-se no próximo dia 18 de Novembro, pelas 16h00, 
na Biblioteca Municipal Miguel Torga.

***



Laura DaSilva [Maria Cecília da Silva Fernandes Pedro] nasceu a 5 de Novembro em Coimbra, onde completou o segundo ano do curso complementar do ensino secundário (antigo sétimo ano do liceu) em 1979, na cooperativa
de ensino de Coimbra (Colégio S. Pedro). Em 1980 emigra para o estrangeiro à procura de outras oportunidades. Não continuou os estudos, mas nunca perdeu a ligação aos livros que sempre a acompanharam desde a infância. Regressou a Portugal em 1998 onde fixou residência em Miranda do Corvo. 
Publicou em 2014 “Palavras soltas no olhar”, em 2016 "Madrugada Fria" (1.ª edição) e 2.ª ed. em 2017.  

«A EMISSORA NACIONAL E AS MUDANÇAS POLÍTICAS (1968-1975)» DE ROGÉRIO SANTOS [BREVEMENTE]





A EMISSORA NACIONAL E AS MUDANÇAS POLÍTICAS (1968-1975)
de  Rogério Santos

Este livro analisa a história da Emissora Nacional durante o período de 1968 a 1975, compreendendo os tempos do governo de Marcelo Caetano e os dezoito meses de revolução política (abril de 1974 a novembro de 1975). O estudo incide sobre a programação, os objetivos ideológicos, estéticos e culturais da rádio pública e a mudança de geração de dirigentes, profissionais e orientações radiofónicas.
[nº 5 da Colecção Comunicação História e Memória, dirigida pela Prof. Doutora Isabel Nobre vargues]

                                                           

ROGÉRIO SANTOS é docente (Universidade Católica Portuguesa) e investigador em ciências sociais e humanas (Centro de Estudos de Comunicação e Cultura). Publicou diversos livros sobre história da rádio e das telecomunicações, jornalismo e media.

quarta-feira, novembro 01, 2017

MÁRIO MESQUITA, ELEITO PARA A ENTIDADE REGULADORA DA COMUNICAÇÃO SOCIAL [ERC]


Mário A. Mesquita eleito para a ERC. Autor e Diretor de 3 coleções de comunicação da MinervaCoimbra. Muitos parabéns e felicidades no novo cargo, professor. Ficamos todos a ganhar. Parabéns a toda a equipa.
Os deputados elegeram hoje Abílio Morgado para o Conselho de Fiscalização do Serviço de Informações da República (SIRP), com 153 votos, e Mário Mesquita para a Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC), com 160 votos.
JN.PT

sexta-feira, outubro 20, 2017

«UM HOMEM QUE PARTIU DO SEU REGRESSO» DE ANTÓNIO ARNAUT [APRESENTAÇÃO NA CASA MUNICIPAL DA CULTURA, COIMBRA] 28 DE OUTUBRO, 16H00.




Convite 
Apresentação de
"UM HOMEM QUE PARTIU DO SEU REGRESSO
e outros poemas" de António Arnaut
por António Pedro Pita (Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra).  Leitura de poemas por Victor Torres.

28 de Outubro de 2017, 16h00Sala Polivalente da Casa Municipal da CulturaRua Pedro Monteiro, em Coimbra. 

***
O livro
    “Um Homem que partiu do seu regresso foi pensado como uma alegoria de quem regressa da morte anunciada, ou da vida no ocaso sensível da sua Luz. 
O regresso era também uma partida ou vice-versa, dependendo da premência da poesia na deflagração sequencial da palavra poética. 
O poeta é tanto um mediador do oculto como um desocultador do já revelado. Procura a palavra perdida, genesíaca, para vencer a morte e dar um sentido humano à vida.”
                       António Arnaut

O Autor
António Duarte Arnaut nasceu em 1936 na freguesia de Cumieira, Penela, onde ainda tem casa de família. Advogado, político e escritor. Conhecido sobretudo pela sua acção cívica e política e por ser fundador do Serviço Nacional de Saúde, a sua vasta e notável obra literária, de reconhecido mérito, alcança já os 40 títulos. Poeta, ficcionista, ensaísta, publicou vários livros em defesa do SNS e do Estado Social. A sua poesia dispersa por 14 livros, está antologiada em "Recolha Poética (1954-2014), Coimbra Editora,2014, recentemente reeditada pela Imprensa da Universidade de Coimbra, "Recolha Poética (1954-2017)".

Os seus contos foram seleccionados em "Contos Escolhidos", Coimbra Editora, 2011. De destacar ainda o romance histórico-político "Rio de Sombras", Coimbra Editora, 2007.
As capas dos seus livros são quase todas elaboradas 
com base na reprodução de quadros de pintores amigos, 
que conserva na sua colecção.António Arnaut escreve, sempre que pode, ao som de música clássica. Os seus compositores favoritos são Mozart, Beethovan e ainda os clássicos russos, preferencialmente Alexander Borodin. 

Obras de António Arnaut

(por ordem cronológica)

Versos da mocidade. Coimbra, Coimbra Editora, 1954 (esgotado).

Serviço Nacional de Saúde - uma aposta no futuro. Coimbra,

Coimbra Editora, 1978 (esgotado). Ensaio.

A condição portuguesa no Diário de Miguel Torga (Conferência),

1984.

Rude Tempo, Rude Gente. Coimbra, Fora de Texto, 1.ª edição,

1985; 2.ª edição, 1995 (esgotado). Ficção.
Onze anos depois de Abril - Reflexão Política, 1985. Ensaio.
Para uma visão diacríptica do romance de Miguel Torga. Coimbra,
Gráfica de Coimbra, 1985. Ensaio.
Pátria, Memória Antiga. Coimbra, Fora do Texto, 1.ª edição,
1986; 2.ª edição, 1992 (esgotado). Poesia.
Miniaturais/Outros Sinais. Coimbra, Livraria Almedina, 1987
(esgotado). Poesia.
A viagem - Contos do Absurdo. Coimbra, Livraria Almedina,
1988 (esgotado). Ficção.
O dia do encontro – No 40.º aniversário da Declaração Universal
dos Direitos do Homem, (Conferência), 1989.
Ossos do Ofício. Coimbra, Fora do Texto, 1.ª edição, 1990; 2.ª
edição, Coimbra Editora, 2002. Ficção.
Protótipos Torguianos (Conferência), 1990.
Estudos Torguianos. Coimbra, Coimbra Editora, 1.ª edição,
1992; 2.ª edição, 1997. Ensaio.
Imaginários Portugueses – Contos (Antologia de Autores Portugueses
Contemporâneos). Coimbra, Fora do Texto, 1992.
Obra Colectiva.
Iniciação à Advocacia: história, deontologia, questões práticas.
Coimbra, Coimbra Editora, 1.ª edição, 1993; 11.ª edição, 2011.
Ensaio.
Introdução à Maçonaria. Coimbra, Coimbra Editora, 1.ª edição,
1996; 7.ª edição, 2012. Ensaio.
Estatuto da Ordem dos Advogados (Anotado). Coimbra, Coimbra
Editora, 1.ª edição, 1996; 14.ª edição, 2012.
Canto de Job (Homenagem a Miguel Torga), 1996 (esgotado).
Poesia.
Cântico em Honra de Miguel Torga. Coimbra, Fora do Texto,
1996. Obra Colectiva.
Nobre Arquitectura. Arganil, Editorial Moura Pinto, 1997; 3ª
edição, Lisboa, Huguin Editores, 2003 (esgotado). Poesia.
O Pássaro Azul - Contos e Poemas de Natal. Coimbra, Coimbra
Editora, 1ª edição, 1998; 2ª edição, 2001. Poesia e Prosa.
Entre o Esquadro e o Compasso (Três Intervenções). Lisboa,
Universitária Editora, 1999 (esgotado).
Ética e Direito - algumas questões concretas. Coimbra, Livraria
Mateus, 1999 (esgotado). Ensaio.
Por Este Caminho. Coimbra, Coimbra Editora, 1.ª edição, 1999;
2.ª edição, 2000. Poesia.
Vencer a Morte. Coimbra, Coimbra Editora (Conferência), 2001.
As Noites Afluentes. Coimbra, Coimbra Editora, 2001. Poesia
e Prosa.
Colectânea de Poesia. Coimbra, Pé de Página, 2001. Obra Colectiva.
A Seiva da Raiz. Penela, Câmara Municipal, 2002. Contos.
Miguel Torga, Mestre de Língua e da Portugalidade (Conferência),
2002.
Do litoral do teu corpo - Antologia do Amor. Vila Nova de Gaia,
Editora Ausência, 2003 (esgotado). Poesia.
Encantada Coimbra (Colectânea de Poesia sobre Coimbra).
Lisboa, D. Quixote, 2003. Obra Colectiva.
Choque e Pavor (25 Poemas contra a guerra no Iraque). Vila
Nova de Gaia, Editora Ausência, 2003. Obra Colectiva.
Recolha Poética (1954-2004). Coimbra, Coimbra Editora, 2004.
Na Liberdade – Antologia Poética, 30 Anos, 25 de Abril. Peso da
Régua, Garça Editores, 2004. Obra Colectiva.
Fernando Pessoa e a Maçonaria. Lisboa, Grémio Lusitano, 2005.
Ensaio.
Rio de Sombras. Coimbra, Coimbra Editora, 2007. Romance.
Serviço Nacional de Saúde (SNS) – 30 Anos de Resistência. Coimbra,
Coimbra Editora, 1.ª e 2.ª edições, 2009. Ensaio.
Contos Escolhidos. Coimbra, Coimbra Editora, 2011. Ficção.
Rosto e Memória – Exercícios de Cidadania. Coimbra, Coimbra
Editora, 2011. Ensaio
O Étimo Perdido – O SNS, O Estado Social e Outras Intervenções.
Coimbra, Coimbra Editora, 2012.
Alfabeto Íntimo e Outros Poemas. Coimbra, Coimbra Editora,
2013. Poesia.
Iluminuras – Adágios, Incisões e Reflexões. Coimbra, Coimbra
Editora, 2013. Poesia e Prosa.
Degraus, Antologia Poética Solidária. Edição do Casino Figueira/
LAHUC, 2014. Obra colectiva.
Cavalos de Vento. Coimbra, Coimbra Editora, 2014. Poesia e
Prosa.
A Mesma Causa, Conferências e Outras Afluências. Coimbra,
Coimbra Editora, 2015.
Era um Rio e Chorava – 80 poemas para 80 anos. Coimbra, Coimbra
Editora, 2016.
Recolha Poética (1954-2017), 2. ª edição (aumentada). Coimbra,
Imprensa da Universidade de Coimbra, 2017.
Introdução à Maçonaria, 8. ª edição, Coimbra, Imprensa da
Universidade de Coimbra, 2017.

segunda-feira, outubro 09, 2017

«SOBRE MIM UM VERSO QUE EU NÃO ESCREVI» DE MARIA HELENA TEIXEIRA [APRESENTAÇÃO NO HOTEL QUINTA DAS LÁGRIMAS EM COIMBRA] 20 DE OUTUBRO, 21H30.





CONVITE

Apresentação de "SOBRE MIM UM VERSO QUE EU NÃO ESCREVI
de Maria Helena Teixeira
por Cristina Robalo Cordeiro (Professora Catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra). Prefácio de Júlio Machado Vaz.
Leitura de poemas por Victor Torres.

20 de Outubro, 21h30, Hotel Quinta das Lágrimas, Sala Aqua, Coimbra.




Maria Helena de Sousa Ferreira Teixeira, natural do Porto, é química de profissão, casada, mãe de três filhos e avó de quatro netos.

Fora do mundo químico, cultiva o gosto pela música, mas é na poesia que a autora esvazia alguns momentos da sua vida.

Livros publicados:

- "Instantes", 1999
- "A Lua tem Frio", 2001
- "Asas e Sombras", 2005
- "Não me Ensine a Estrada", 2009
- "O Silêncio é um Rio", 2012
- "O Vento Ainda Sopra", 2016

www.facebook.com/edgard.panao   www.facebook.com/minervacoimbraed/
www.minervacoimbra.pt 

sexta-feira, setembro 15, 2017

CAMPOS DE MIRANDA DE EDGARD PANÃO [23 DE SETEMBRO DE 2017, 16H30] MUSEU DE AVEIRO/MUSEU SANTA JOANA PRINCESA




CONVITE
Apresentação de "Campos de Miranda" de Edgard Panão
por João Aurélio Sansão Coelho (jornalista e professor do Ensino Superior e autor do prefácio. 
“Campos de Miranda” completa a trilogia composta por “Campos de Sombras” (2014) e “Campos de Arruda” (2015). 

www.facebook.com/edgard.panao   www.facebook.com/minervacoimbraed/
www.minervacoimbra.pt 

quinta-feira, setembro 14, 2017

DESTINADAMENTE.... DE ARNALDO SILVA [APRESENTAÇÃO, DIA 22 DE SETEMBRO DE 2017, 21H30] SALÃO NOBRE CÂMARA MUNICIPAL DE MATOSINHOS






CONVITE

" ....Destinadamente..." de Arnaldo Silva. 
Apresentação por Prof. Doutora Isabel Ponce de Leão (autora do prefácio).
Salão Nobre Câmara Municipal de Matosinhos. 22 de Setembro, 21h30.



terça-feira, setembro 12, 2017

EDGARD PANÃO, ACADÉMICO HONORÁRIO DA ACADEMIA PORTUGUESA DA HISTÓRIA







Edgard Panão, Académico Honorário da Academia Portuguesa da História. É com orgulho que comunicamos que o nosso ilustre autor Dr. Edgard Panão, foi eleito Académico Honorário da Academia Portuguesa da História. O galardão será entregue em cerimónia a realizar a 11 de Outubro, pelas 15 horas. 
In Jornal "Mirante" de 1 de Setembro de 2017.


Aqui deixamos o link para "O PONEY", a quem agradecemos igualmente a notícia e a referência ao excepcional currículo do Dr. Edgard Panão

http://oponney.pt/nacional/nova-artigo-50/

sexta-feira, agosto 04, 2017

«A VIAGEM» DE IRENE VALENTE [APRESENTAÇÃO POR JORGE CORTE-REAL] 12 DE AGOSTO, 17H30, AUDITÓRIO DA CÂMARA MUNICIPAL [ANSIÃO]




Convite

O Presidente da Câmara Municipal de Ansião, 
Dr. Rui Alexandre Novo e Rocha, 
a Autora e as Edições MinervaCoimbra 
têm o prazer de convidar V. Ex.ª para o lançamento do livro

A VIAGEM de Irene Valente

A apresentação será feita por Jorge Corte-Real (jurista). 

A sessão realiza-se no próximo dia 12 de agosto (sábado), 
pelas 17h30 no Auditório Câmara Municipal de Ansião.

terça-feira, julho 11, 2017

A INFORMAÇÃO NA ERA DA PÓS VERDADE - O ADMIRÁVEL MUNDO DAS NOTÍCIAS FALSAS [ A PROPÓSITO DO LIVRO DE BRUNO PAIXÃO « PRIME TIME IS MY TIME»



Colóquio " A informação na era da pós verdade - o Admirável Mundo das Notícias Falsas"
com António Tavares, Sandra Felgueiras, Bruno Paixão e José Manuel Portugal


Dia 11 de Julho de 2017, pelas 21h30. 

Biblioteca Municipal, Figueira da Foz. 

A propósito do livro de Bruno Paixão 

«Prime Time is My Time crónicas sobre comunicação, jornalismo, política e cultura» 



quinta-feira, junho 22, 2017

«ANTÓNIO ARNAUT - FOTOBIOGRAFIA» COORDENAÇÃO DE ISABEL DE CARVALHO GARCIA [CONVENTO DE SÃO FRANCISCO EM COIMBRA] DIA 8 DE JULHO DE 2017, PELAS 16H30






Convite

O Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, 
Manuel Machado, António Arnaut 
e as Edições MinervaCoimbra 
têm a honra da convidar V. Ex.ª 
para o lançamento do livro

ANTÓNIO ARNAUT - FOTOBIOGRAFIA
coordenado por Isabel de Carvalho Garcia.

A apresentação será feita pelo Prof. José de Faria Costa

A sessão terá lugar no próximo dia 8 de Julho de 2017, 
pelas 16h30,no Café Concerto 
do Convento de São Francisco, em Coimbra.


sexta-feira, junho 09, 2017

SESSÃO DE AUTÓGRAFOS COM LAURA DASILVA - 2ª EDIÇÃO DE «MADRUGADA FRIA» [FEIRA DO LIVRO DE COIMBRA] PARQUE DR. MANUEL BRAGA - FEIRA CULTURAL DE COIMBRA






Sessão de Autógrafos com LAURA DASILVA (Cila Fernandes) a propósito da 2ª edição do livro «Madrugada Fria».10 de junho de 2017 (16h00-18h00).Feira do livro de Coimbra (Feira Cultural de Coimbra). 


Com 1ª edição a 07 de Maio de 2016 este segundo livro de Laura Da Silva reúne a sua produção poética entre 2004 e 2006, com prefácio de Margarida Mota. Num registo intimista, tal como em "Palavras Soltas no Olhar" (MinervaCoimbra, 2014), a autora convoca-nos novamente para uma leitura onde o "amor, a tristeza, o sofrimento, o medo, a angústia, mas também a alegria, a saudade e a felicidade ", polvilham os seus poemas.
LAURA DASILVA (Cila Fernandes)
[pseudónimo de Maria Cecília da Silva Fernandes Pedro].
é natural de Coimbra, onde completou o segundo ano do curso complementar do ensino secundário (antigo sétimo ano do liceu) em 1979, na cooperativa de ensino de Coimbra (Colégio S. Pedro).
Em 1980 emigra para o estrangeiro à procura de outras oportunidades.
Não continuou os estudos, mas nunca perdeu a ligação aos livros que sempre a acompanharam desde a infância. Regressou a Portugal em 1998 onde fixou residência em Miranda do Corvo.
Em 2014 publicou «Palavras Soltas no Olhar» [MinervaCoimbra]. 

Tem em preparação mais doitítulos www.minervacoimbra.pt // www.minervacoimbra.blogspot.pt